domingo, 30 de outubro de 2011

O dia em que ela partiu...



Ela acordou e me deu um olhar frio, eu temia esse olhar mais que tudo no mundo...
Sua voz mais que o seu olhar desabou sobre mim como uma geleira contrastando com meu sentimento quente e afetuoso...
Não me lembrava da última vez em que tinha visto a frieza naqueles belos olhos.
Ouvia sem acreditar que era você falando...
Essa voz que por tantas vezes disse que eu era tudo no mundo...que dizia o meu nome numa melodia...essa voz agora ,dizia que não me amava mais...que estava tudo acabado entre nós.

A única coisa que eu podia fazer era pensar no porquê de tudo aquilo.Toda aquela  intolerância,demonstrando uma felicidade oculta em me ter nas mãos e em saber como ninguém interferir no meu humor.
Decidir se eu ia sorrir...
se eu ia chorar
se eu ia implorar...

O pior de tudo foi a culpa que eu senti em ouvir tudo aquilo,me senti  realmente culpada por estar ouvindo todas aquelas palavras.
Passei o dia tentando entender...sem mesmo conseguir pensar...
Eu já não era mais o motivo do seu sorriso...
Eu já não era mais o brilho do seu olhar...
Me afoguei em algo que me ajudasse a entorpecer meus sentidos enquanto olhava pro seu motivo em me tratar daquele jeito,eu senti raiva...muita raiva.
A raiva de ser impotente...de não poder mudar sua decisão...
Você bateu a porta e me deixou de fora do seu coração,gritando lá de dentro por que eu ainda estava ali....
Sabe,eu me fiz essa mesma pergunta.
“O que eu estou fazendo aqui?!”
Silenciosamente,enquanto ouvia meu choro e todas as células do meu corpo gritando:
“não me deixe!”

No dia seguinte,tive a certeza de que tinha te perdido...
Quando te olhei partir sem olhar pra trás,correndo pra encontrar seu destino e com ele compartilhar a novidade de que eu já não era mais o motivo do seu sorriso...já não era mais o brilho do seu olhar...

Naquele dia eu morri....
Naquele dia eu me perdi...
E sabe, acho que continuo perdida...
Perdi até a memória pra continuar te amando...até quando acabar...

Um comentário:

  1. fico curioso pensando o que foi que te inspirou a escrever essa história triste, se bem que esta mais para relato de um fato verídico do que uma história... muito lindo, triste mas lindo...

    ResponderExcluir