quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Dizendo adeus



Tentei de todas as maneiras possíveis e impossíveis te esquecer, ate aceitar que esta alem do meu controle. Eu não posso te tirar de mim e nem esquecer o que passamos juntos, mas eu posso me esconder, o mais longe possível, pra que nem eu mesma me encontre.

Não me encontrar, exige muito. Exige que eu seja alguem que você não conhece....
Não me encontrar, exige que eu me corte em pedaços só pra te perder...
Não me encontrar, exige que eu me esqueça de mim só pra esquecer de você.

Por sorte, as pessoas amadurecem....

Eu resolvi escrever um texto de adeus, de uma vez por todas. Um texto que poe um fim de verdade em todo esse acaso que me me faz morrer dia apos dia, desde aquele dia.

E , eu não vou mais esperar por você e estou indo embora. Não de mim, talvez só de você, mas indo embora. Indo pra sempre e dessa vez, sem olhar pra trás.
Talvez, eu me cure dessa dor, 
talvez eu aprenda a conviver melhor com ela
ou talvez, eu apenas pare.

Passei um quarto da minha vida esperando por uma coisa, uma coisa que e ridícula e absurda ao mesmo tempo enquanto você faz joguinhos infantis.

Quando eu chego ao ponto de assumir que sinto saudades, já passei mal sem ar, já fiquei com dor de cabeça e dormi sob efeito de remédio. Só pra não sentir saudade. E quando eu ligo e digo e assumo, e porque estava insuportavel. 
E porque eu não respiro mais direito e nem consigo mais pensar em nada que não seja você.

Uma baita perda de tempo!

Dizem que o amor e uma dadiva, falam tanto de almas gemeas e amores impossíveis que eu duvido que quem escreve sobre isso tenha vivido isso de fato.

Ora destrói...
Ora corroí...
Ora constrói...

Mas, e agora!?

Devia ter acabado há seculos, deveria ter morrido quando morri tentando matar você em mim. Sim, eu morri e morro todos os dias. 
Eu morro de vontade de te ver
Eu morro de vontade de te beijar
Eu morro de saudades do seu sorriso
Eu morro de saudade da sua voz...

Mas vamos cair na real, todo mundo sabe que você não merece isso...
Talvez eu goste de perder meu tempo com você...e por isso que acabou.

Estou indo embora pra outro planeta...outra dimensão.
Vou viver com os pedaços que você deixou.

Não vem mais com idiotices e nem com criancices e nem com mensagens ridículas...

Nos não somos mais crianças.


 Se você não vem, não tem porque ficar aqui.


Isso não quer dizer que eu não te ame, quer dizer que eu me amo muito pra continuar aqui sem você.


Não existe mais porto, não existe mais nada... só o exílio.